sexta-feira, 5 de junho de 2015

FNAP vai debater Plano Nacional de Aprendizagem e outros temas estruturantes

Finalmente o FNAP - Fórum Nacional de Aprendizagem Profissional colocou em pauta de discussão (para a 2ª reunião extraordinária, dia 10 de junho de 2015, em Brasília), os temas mais relevantes do momento para o desenvolvimento do programa e a consolidação do mesmo como política pública de Estado:

  • as prioridades do Plano Nacional de Aprendizagem Profissional - PNAP (Ações 1, 5, 6, 7, 8 e 9),
  • destaca-se a abordagem específica da 1ª ação que interessa sobremaneira às entidades formadoras de Aprendizes: o Projeto de Lei de extensão da Aprendizagem para a Administração Pública Direta,
  • a apresentação de um Plano de Comunicação para o Programa, essencial para a divulgação do programa e a mobilização das empresas, órgãos públicos e opinião pública em geral sobre as vantagens da ampliação de contratação de adolescentes e jovens Aprendizes,
  • o Projeto de Lei nº 4.330/2004 em tramitação no Congresso, sobre a Terceirização, e a sua relação com a Aprendizagem Profissional e
  • apresentação e debate sobre a consolidação do Arco de ocupações do Desporto.
Tal iniciativa atende a um insistente pleito do FOPAP - Fórum Paulista de Aprendizagem Profissional no sentido de envolver os participantes do FNAP com discussões substantivas sobre os grandes desafios nacionais do Programa. Essa reunião terá a presença do novo Secretário Executivo do MTE e do Diretor do Depto. de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude, da SPPE/MTE.

A maioria das instituições de Aprendizagem vinculadas à Coordenação Colegiada do FNAP tem as suas sedes no estado de São Paulo, cujos representantes participam ativamente do FOPAP. Por isso, este Fórum Paulista tem uma representação forte no FNAP para compartilhar as experiências e expectativas mais significativas deste estado com os demais protagonistas públicos e privados da Aprendizagem Profissional no país.

Caberá ao FOPAP apropriar-se do debate e proposições relevantes para inserir os avanços nas práticas de suas instituições-membro.